História

BURGUIÈRE et all (1986), autores da Histoire de la famille, observam como ela contribui na diversificação das redes de parentesco. No novo contexto, termos como “desordens das famílias” (FARGE E FOUCAULT, 1982/2014) “metamorfoses do parentesco” (GODELIER, 2010) “transformações familiares” (FLEISCHER, 2003/2004) “família em desordem” (ROUDINESCO, 2002/2003) ganham os debates e pesquisas, ao lado de outros tais como “rede de afetos”, “combate ao tradicionalismo”, “direito das minorias”, etc.

Acompanharemos essas mutações familiares, bem como o modo como elas são trazidas na historia da arte e no debate da intermidialidade.

Parceria:
Marília Andrés Ribeiro (Departamento de  Historia (UFMG) | Coordenadora Arte Projetos Culturais, Brasil | Conselheira da Revista UFMG).

Anúncios